quarta-feira, 7 de maio de 2014

TERMOS - LETRAS Bp => Bz

BRANDY: é obtido da destilação do vinho, que fica com um teor alcoólico muito mais elevado do que o vinho puro.

BRANQUEAMENTO: o branqueamento remove manchas e branqueia ou clareia os materiais. Cloro, oxigênio, peróxido de hidrogênio e dióxido de enxofre são materiais branqueadores. Eles oxidam substâncias coloridas fazendo-as perder a cor. A água sanitária doméstica em geral contém hipoclorito de sódio, que produz cloro.

BRANQUEADOR ÓTICO: substância química que absorve radiação ultravioleta e emite radiação na região visível. Os plásticos, as fibras naturais e o papel tendem a escurecer ou amarelar com o tempo, devido à fraca absorção de luz na faixa dos 400nm por certos grupos: peptídeos na lã ou na seda, flavonóides na celulose, e produtos de decomposição em polímeros. Os químicos encontraram uma solução para este problema: a adição de um composto fluorescente que absorve radiação UV e emite luz visível - também na faixa de 400nm. Assim, o efeito do envelhecimento é mascarado. São utilizados em papéis, tecidos, detergentes, sabões e polímeros.

BRANQUINHO: a composição básica do “liquid paper” ou “branquinho” ou “errorex” é: óxido de titânio (responsável pela cor branca na maioria das tintas), água (solvente), etanol (solvente, contribui para que a secagem seja
rápida), polímero (para dar consistência), dispersantes (para manter a mistura uniforme). Em 1951, Bette Nesmith Graham, uma secretária norte americana, não gostava quando tinha que corrigir com um lápis-borracha uma página datilografada, pois borrava toda a folha e tinha que datilografar tudo novamente. Observando pintores que reformavam seu escritório, ela teve a idéia de produzir uma tinta branca à base de água que pudesse ser usada na correção dos seus trabalhos datilografados. Usando a garagem e a cozinha de casa como laboratório e fábrica, ela foi gradualmente desenvolvendo um produto que foi se tornando bastante popular. Em 1956 ela batizou-o com o nome de “Mistake Out” e ofereceu à IBM, que recusou. Quando a demanda explodiu, ela mudou o nome para “Liquid Paper” e o patenteou e registrou. Em 1975 sua firma empregava 200 pessoas e fabricava 25 milhões de unidades de Liquid Paper, distribuídas em 31 países.
Em 1979 Bette Graham vendeu a companhia para a Gillette Corporation por 47,5 milhões de dólares.

BREU: é a resina que fica de resíduo quando se destila a terebintina para lhe extrair a essência ou aguarrás. É amorfa, friável, transparente, de fratura concóide, quase vítrea, de cor variável entre amarelo-clara e vermelho-escuro ou mais ou menos escura, porém sempre translúcida. É inodora, às vezes com ligeiro odor a anis, solúvel no álcool, no éter, nos óleos e na essência de terebintina. Contém ainda um princípio amargo. Em muitos países, como no caso do Brasil, se produz breu através de incisões no pinho, pelas quais se recolhe a goma da qual, por destilação, se obtém a essência de terebintina e um resíduo sólido, que é a colofônia, chamada “pez claro” quando pouco colorida, ou “pez negro” quando sua cor é mais carregada, quase preta. Empregado na fabricação de resinas para adesivos, tintas e vernizes, size para papel, borracha sintética, chicletes. Outras aplicações: desinfetantes, colas, desmoldantes para fundição, abrasivos, esmalte para cerâmica.

BRILHANTE: expressão de gíria muito utilizada para designar o diamante, mas que, em rigor, se refere a um estilo de lapidação e não a um material gemológico. O estilo é o talhe Brilhante. Estilo de lapidação com 57 a 58 facetas especialmente desenhado e desenvolvido para se conseguir o melhor compromisso possível entre o brilho e o fogo do diamante. Está concebido de tal forma que, teoricamente, toda a luz que entra pela maior superfície plana sai pelas restantes, fazendo com que esta seja separada nas suas componentes espectrais (cores do arco íris), produzindo o efeito emissão de raios coloridos de dentro da pedra.
Os contornos mais frequentes são o redondo, oval, pêra, naveta (também designado marquise) e coração.

BRILHO DO CABELO: o brilho do cabelo é a sua capacidade de refletir luz. Alguns preparados alcalinos para o cabelo e xampus removem íons hidrogênio(H1+) das moléculas de queratina e portanto, alteram a sua distribuição de cargas elétricas. Em conseqüência, essas moléculas e as microfibrilas enrolam-se mais fortemente e tornam-se mais reflexíveis, intensificando seu brilho. Condicionadores de cabelo incluem substâncias iônicas (derivados orgânicos do nitrogênio) que se ligam às fibras e modificam a sua carga elétrica. Isso aumenta a repulsão elétrica entre fios de cabelo, que se aproximam; como os fios não podem grudar-se, o cabelo parece mais encorpado.   

BRILHO NO ESCURO: adesivos que brilham no escuro, como funcionam? Você já deve ter se divertido montando constelações no teto do seu quarto ou no dos seus filhos, com figurinhas luminosas. Esses adesivos - que parecem nunca sair de moda - funcionam graças a uma substância chamada sulfeto de zinco(ZnS), que tem a propriedade de emitir um brilho amarelo-esverdeado depois de exposto à luz. O sulfeto de zinco(ZnS) é um composto fosforescente. Ao absorver energia luminosas, ou fótons, os seus elétrons são estimulados e “chutados” para longe do núcleo. Quando você desliga o interruptor do quarto - que, aliás, também é feito do mesmo material, justamente para que você possa enxergá-los no escuro - o estimulo acaba e os elétrons retornam, aos poucos, para seus lugares de origem. Na volta, eles devolvem a energia absorvida, também em forma de fótons ou energia luminosa. Daí a luminescência que pode durar por horas.

BRIQUETAGEM: consiste na compactação das partículas do material a elevadas pressões for-mando briquetes.

BROMATO DE POTÁSSIO (KBrO3): cristais hexagonais, brancos ou pó branco, cristalino ou granuloso, inodoro e  de sabor salino e picante. Solúvel em cerca de 15,5 partes de água, em 2 partes de água fervente e pouco solúvel no álcool. Aquecido a 350oC, desprende tumultuosamente oxigênio, transformando-o em brometo de potássio. Pode provocar incêndio em contato com materiais orgânicos. Usado como oxidante, agente de maturação em farinhas, na fabricação de pães em padarias para aumentar o rendimento da massa e em palitos de fósforo.   

BROMETO DE POTÁSSIO (KBr): um sólido cristalino branco ou incolor, ligeiramente higroscópico, solúvel em água e muito solúvel em etanol. Conduz corrente elétrica quando fundido ou em solução aquosa, mas não no estado sólido, pois seus íons estão fortemente atraídos uns com os outros. É usado largamente na indústria fotográfica e também como sedativo e como material para prismas em espectroscopia infravermelha.

BROMO (Br): um não metal líquido, pertencente ao grupo 17 da tabela periódica.  É encontrado na água do mar e usam-se grandes quantidades desta água na produção de 1,2-dibromo-etano, na forma de aditivo do petróleo.

BRONZE: Bronze (do persa biring, cobre) é o nome com o qual se denomina toda uma série de ligas metálicas que tem como base o cobre e o estanho e proporções variáveis de outros elementos como zinco, alumínio, antimônio, níquel, fósforo, chumbo entre outros com o objetivo de obter características superiores a do cobre. O estanho tem a característica de aumentar a resistência mecânica e a dureza do cobre sem alterar a sua ductibilidade.
O processo de fabricação consiste em misturar um mineral de cobre (calcopirita, malaquita ou outro) com o estanho (cassiterita) em um alto-forno alimentado com carbono (carvão vegetal ou coque). O anidrido carbônico reduz os minerais a metais, o cobre e estanho se fundem e se ligam a percentual de estanho de 2 a 11%
De bronze foram as primeiras armas e ferramentas metálicas, também utilizado para a produção de estátuas. Material que, polido, chega ao amarelo ouro, é o mais usado no campo da escultura. Sua grande popularidade se deve à sua enorme resistência estrutural, à não corrosão atmosférica, à facilidade de fundição e uma capacidade de acabamento que permite excelente polimento ou o uso de diversas cores e tipos.
O bronze possui características acústicas e de geração de ondas sinusoidais bastante puras e apresentando um timbre bem distinto, tornando-se assim um metal excelente para a fabricação de instrumentos musicais de percussão como é o caso dos sinos e sinetas ou secções de instrumentos de sopro, onde o som é originado, como são os bocais para saxofones, trompetes e trombones, entre outros.

BRONZE DE ALUMÍNIO: é uma liga de cobre e alumínio (10%). Apresenta grande dureza e tenacidade e demais propriedades mecânicas superiores à do bronze comum (de estanho). É empregado na construção de cascos de navio.

BTU: British Thermal Unit, uma unidade de energia. Quatro btus são aproximadamente equivalentes a uma caloria nutricional. Os queimadores dos fogões, sejam eles a gás ou elétricos, são classificados pelo número de btus que eles geram por hora.

BURACO NEGRO: é um objeto com tanta massa concentrada nele que seu campo gravitacional é incrivelmente forte. Como conseqüência disso nada, nem mesmo a luz consegue escapar de sua superfície. Uma das maneiras pela qual acreditamos que os buracos negros se formam é quando estrelas de massa muito grande explodem ou colapsam no final de suas vidas. O buraco negro seria a região central residual que sobrevive após uma estrela supermassiva ter explodido como uma supernova. Os buracos negros exercem um tremendo puxão gravitacional sobre todos os corpos (mesmo estrelas!) que passam próximo a ele. Estes corpos são atraídos para o seu interior de um modo definitivo, não conseguindo mais sair desta região após ter cruzado o chamado horizonte de eventos.

BURETA: um tubo de vidro graduado com uma torneira num dos extremos conduzindo a um tubo de saída mais fino. É usada para adicionar volumes conhecidos de um líquido e na medição de peque-nos volumes, com absoluto rigor e precisão.

BUTANAL(C3H9CHO): um aldeído líquido, incolor e inflamável.

BUTANO(C4H10): hidrocarboneto saturado com quatro átomos de carbono e dez átomos de hidrogênio. É gasoso, incolor e possui cheiro característico. Empregado como combustível doméstico e como iluminante. Também utilizado como fonte de calor industrial em caldeiras, fornalhas e secadores.

BUTANOL (C4H9OH): um dos dois álcoois alifáticos. Pode ser um álcool primário: butan–1–ol ou um álcool secundário: butan–2–ol. Ambos são líquidos incolores voláteis, produzidos a partir do butano e usados como solventes.


BUTANONA (CH3COC2H5): um líquido incolor, inflamável e solúvel em água, também chamado de etil-metil-cetona. Pode ser obtido pela oxidação catalítica do butano e é usado como solvente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário