domingo, 4 de maio de 2014

TERMOS - LETRAS Aj => Al

ALAMBIQUE: existem dois tipos: o pot e o continuous. O pot é o alambique tradicional, constituído de um tacho de cobre em que é aquecida a matéria-prima a ser destilada e de um tubo que leva o vapor até o condensador. É usado na produção de bebidas que devem manter o sabor e as características básicas da matéria-prima, como o conhaque, o rum escuro, o malte whisky e os brandies de frutas. O alambique do tipo continuous, inventado na Escócia, no início do século XIX, é mais moderno, econômico, versátil, de operação rápida, mas indicado apenas para a produção de destilados neutros, como o rum branco, a vodka e a base de alguns licores. No caso do gim, o álcool base é feito num alambique continuous, mas os aromatizantes são destilados num do tipo pot.

ALARANJADO DE METILA: é um corante orgânico usado como indicador ácido-base. Muda desde vermelho para um pH abaixo de 3,1 até amarelo para um pH acima de 4,4 a 25oC é usado para titulações envolvendo bases fracas.

ALBUMINA: é um dos vários grupos de proteínas globulares solúveis em água, mas que formam coágulos insolúveis, quando aquecidas. Existem albuminas na clara de ovo, no sangue, no leite e nas plantas. O soro de albuminas, que constitui 55% das proteínas do plasma sanguíneo, ajuda a regular a pressão osmótica e, conseqüentemente, o volume do plasma.

ALCADIENOS (CnH2n-2): sãohidrocarbonetos insaturados que apresentam duas ligações duplas na sua molécula.

ALCALIMETRIA: é volumetria de neutralização em que se determina a concentração de uma solução básica por meio de titulação com uma solução ácida de concentração conhecida.

ALCALINA: é uma solução resultante da dissolução de uma base em água com formação de íons hi-dróxido (OH–) em excesso.

ALCALINIDADE: é a medida total das substâncias presentes na água, e capazes de neutralizarem ácidos. Em outras palavras, é a quantidade de substâncias presentes na água e que atuam como tampão. Se numa água quimicamente pura (pH=7) for adicionada pequena quantidade de um ácido fraco seu pH mudará instantaneamente. Numa água com certa alcalinidade a adição de uma pequena quantidade de ácido fraco não provocará a elevação de seu pH, porque os íons presentes irão neutralizar o ácido.

ÁLCALIS: é o nome que designa tanto as bases como os óxidos alcalinos. Os óxidos alcalinos são compostos de metais alcalinos (lítio, sódio, potássio, rubídio, césio) com oxigênio. As bases alcalinas como o hidróxido de sódio (soda cáustica) ou hidróxido de potássio (potassa cáustica) podem ser considerados hidratos de seus respectivos óxidos e, inversamente, os óxidos anidridos das bases. As bases alcalinas dissolvidas em água formam lixívias. Dão sais com os ácidos e transformam em sabão as gorduras.

ÁLCALIS CÁUSTICO: aplica-se aos produtos que tem efeito imediato sobre a pele pelo processo de deterioração, como é o caso do hidróxido de amônia, hidróxido e óxido de cálcio, potássio, sódio, peróxido e silicatos sódicos e fosfato trisódico em soluções concentradas, onde o pH situa-se acima de 13. A manipulação direta com estes produtos, sem as medidas de proteção causam queimaduras gelatinosas na pele.

ALCALÓIDE: a definição atualmente aceita para alcalóide deve-se a Pelletier que considera alca-lóides as moléculas cíclicas que contêm nitrogênio e que são verdadeiros metabólitos secundários. Esta definição exclui as aminas simples, os deriva-dos de amônia acíclicos e ainda os compostos nitro e nitrosos ( uma vez que nos alcalóides o átomo de nitrogênio  tem de possuir estado de oxidação negativo ). Os alcalóides formam um grupo muito vasto de metabólitos que podem ocorrer tanto em microorganismos como plantas superiores e infe-riores e ainda em animais, apesar de nestes últi-mos ocorrerem com menor frequência.

ALCALOSE: pH sanguíneo sobe além de 7,45, ocorre quando muito CO2 é perdido pelos pulmões e a concentração de H2CO3 é reduzida abaixo do nível normal.

ALCANOS (CnH2n+2): são compostos binários de carbono e hidrogênio, também denominados hidrocarbonetos saturados, apresentam somente ligações simples entre seus átomos.

ALCATRÃO: é qualquer das várias misturas semi- sólidas de hidrocarbonetos e de carbono livre, pro-duzidas por destilação destrutiva de carvão ou por refinação do petróleo.

ALCATRÃO DA HULHA: é um líquido escuro, visco-so, constituído, essencialmente de hidrocarbone-tos aromáticos, tais como fenóis, anilina, piridina, benzeno e naftaleno. Trata-se da mais importante fonte natural de compostos aromáticos de grande importância para a indústria (mais de duzentos  compostos podem ser obtidos). Uma tonelada de hulha produz em torno de 50 kg de alcatrão.

ALCATRÃO DE MADEIRA: é um líquido escuro e viscoso, formado na destilação da madeira a se-co. Contem GUAIACOL, e cresoto, além de óleos combustíveis.

ALCENOS (CnH2n): também denominados alque-nos, são hidrocarbonetos insaturados por apre-sentar uma ligação dupla na molécula.

ALCINOS (CnH2n-2): também denominados alqui-nos ou acetilenos, são hidrocarbonetos insatura-dos, com uma ligação tripla na molécula.

ÁLCOOL: é um composto orgânico que possui carbonos, hidrogênios e oxigênios na sua estrutura, sendo que obrigatoriamente pelo menos um hidro-gênio deverá estar ligado a um oxigênio (- OH) formando o radical hidroxila e este deverá estar ligado a um carbono saturado, ou seja com quatro ligações simples.

ÁLCOOL ABSOLUTO: é um combustível obtido através do tratamento com benzeno e destilação do etanol. A destilação simples ou fracionada de etanol e água não resulta em uma concentração maior que 95%. Já o álcool ou etanol absoluto pos-sui uma concentração de quase100%.

ÁLCOOL BENZÍLICO: ou fenilmetanol é um álcool aromático líquido (C6H5CH2,OH). É usado prin-cipalmente como solvente.

ÁLCOOL DESNATURADO: é um álcool impurifi-cado com determinadas substâncias, tais como álcool amílico, cânfora, benzeno, gasolina, ácido sulfúrico, acetona ou corantes, etc. A impurificação é feita para que o álcool tenha apenas usos indus-triais, não podendo portanto ser usado em bebidas.

ÁLCOOL DESTILADO: com o tempo, as bebidas alcoólicas passaram a ser destiladas. Como o ál-cool entra em ebulição em uma temperatura muito mais baixa do que a água, os vapores iniciais da bebida apresentam álcool em concentração muito maior do que o líquido original. Se os vapores são a seguir resfriados e condensados, o resultado é uma bebida muito mais forte do que a original.

ÁLCOOL EM GEL: este produto pode ser compos-to por álcool etílico ( etanol ) hidratado a 75o INPM, misturado com um neutralizante e um es-pessante (grau cosmético). Destina-se à assepsia comple-mentar após a lavagem das mãos. Sua formulação, pronta para o uso, não requer pré-diluição e dispen-sa enxágüe  mesmo quando há contato direto com os  alimentos. Ideal para indústrias alimentícias e hospitais, pois não deixa perfume nas mãos.

ÁLCOOL ETÍLICO (C2H5OH): ou etanol, é um líquido incolor com cheiro característico, volátil, inflamável e solúvel na água. É utilizado como solvente de tinta, como verniz, como combustível, assim como na preparação de produtos farma-cêuticos em virtude da sua reatividade e preço relativamente baixo.

ÁLCOOL ETÍLICO ANIDRO: para obter álcool
anidro (100oGL), o álcool etílico hidratado é tratado com cal virgem (CaO) e, a seguir, é feita uma fil-tração seguida de uma destilação simples.
A reação entre a cal virgem e a água produz cal hidratada [Ca(OH)2] praticamente insolúvel no álcool.

ÁLCOOL HIDRATADO: por melhor que seja a coluna de destilação fracionada que se utilize, o álcool destilado nunca será completamente puro. O produto que se obtém é o álcool 96oGL ( 96 graus Gay-Lussac), ou seja, 96% de álcool e 4% em volume de água(álcool hidratado). Essa mistura, que não pode ser separada por destilação fracio-nada, é conhecida como mistura azeotrópica, porque possui um ponto de ebulição bem definido e inferior ao do álcool puro.

ÁLCOOL HIDRATADO COMBUSTÍVEL: é o álcool usado nos veículos totalmente movidos a álcool. Este álcool tem uma porcentagem que varia entre 92,6% e 94,2% de pureza alcoólica (graus INPM), ou seja, contendo entre 5,8% e 7,4% de água. É vendido diretamente para as distribuidoras de combustíveis e estas o distribuem para os postos de serviços.

ÁLCOOL ISOBUTÍLICO: ou isobutanol é um sol-vente orgânico líquido, miscível em quase todos os solventes orgânicos, e com relativa solubilidade em água. Suas principais aplicações são na produção de plastificantes, solventes, e como intermediário quími-co na fabricação de  adesivos e aditivos para lubrifi-cantes.

ÁLCOOL IODADO: é uma solução feita com iodo a 2% mais iodeto de sódio a 2% diluído em álcool etílico, ou iodo a 7% mais iodeto de potássio a 5% em álcool etílico a 83%.

ÁLCOOL ISOPROPÍLICO: este álcool é usado em solução aquosa a 70% como desinfetante para a pele. Ele age como adstringente (produz constrição), fazendo com que o tecido se contraia, endurecendo a pele e limitando as secreções.

ÁLCOOL MINERAL: é uma mistura de hidrocarbo-netos usada como solvente leve, também conheci-da como álcool de petróleo.

ÁLCOOL NEUTRO: a denominação álcool neutro procura englobar diversos “tipos” de álcool, por exem-plo: álcool fino, álcool extra-fino, álcool de qualidade industrial. Grosseiramente falando o álcool neutro seria um álcool, hidratado ou anidro, com baixos teores de impurezas. As utilizações do álcool neutro estariam, principalmente, mas não somente, nas seguintes indústrias: bebidas; farmacêuticas; cosméticas; tintas e vernizes e alcoolquímica.

ÁLCOOL NO SANGUE: quando uma pessoa  inge-re  bebidas  alcoólicas, o álcool  passa rapidamente para a corrente sanguínea e é levado para todas as partes do corpo. A conseqüência é a intoxicação, que varia de uma leve euforia até estados mais avançados de estupor alcoólico.
Como resultado, a capacidade de a pessoa conduzir veículos fica comprometida, uma vez que a intoxicação afeta a coordenação motora e a rapidez dos reflexos. Como o sangue circulante passa pelos pulmões, onde ocorre troca de gases, parte do álcool é arrastado pelo ar exalado e, assim, a pessoa que bebeu exalará um ar com uma concentração de álcool proporcional àquela presente na corrente sanguínea. Se, ao ser submetido ao teste do  bafômetro, o ar exalado pelo motorista provocar alteração na coloração da substância contida no aparelho (de laranja para verde), há indicação de que o condutor ingeriu bebida alcoólica. Os instrumentos usados para esta finalidade são popularmente chamados bafômetros, e seu funcionamento baseia-se em reações de oxidação e redução. Como resultado, a capacidade de a pessoa conduzir veículos fica comprometida, uma vez que a intoxicação afeta a coordenação motora e a rapidez dos reflexos.

ÁLCOOL NA GAS0LINA: quando adicionamos água conseguimos separar o álcool misturado na gasolina comum, veja abaixo como.

A GASOLINA COMO TODOS OS HIDROCARBONETOS TEM POLARIDADE DESPREZÍVEL (APOLARES). 

O ÁLCOOL ETÍLICO OU ETANOL COMO TODAS AS FUNÇÕES ORGÂNICAS OXIGENADAS, NITROGENADAS OU HALOGENADAS TEM PARTES POLARES E APOLARES NA SUA MOLÉCULA, LOGO PODEM SOLUBILIZAR OS HIDROCARBONETOS APOLARES E NESTE CASO A GASOLINA. 

A INTERAÇÃO INTERMOLECULAR É CHAMADA DE DIPOLO-DIPOLO INDUZIDO DE FRACA INTENSIDADE. 

A ÁGUA UM COMPOSTO POLARIZADO PODE SOLUBILIZAR O ÁLCOOL USANDO SUA PARTE POLAR E A INTERAÇÃO INTERMOLECULAR NESTE CASO É CHAMADA DE LIGAÇÃO OU PONTE DE HIDROGÊNIO UMA INTERAÇÃO FORTE. 

A ÁGUA SEPARA O ÁLCOOL DA GASOLINA POR QUE A INTERAÇÃO ÁGUA-ÁLCOOL É MAIS FORTE QUE A INTERAÇÃO ÁLCOOL-GASOLINA.

VEJA O VÍDEO ABAIXO.




ÁLCOOL SUPERIOR: são aqueles com muitos carbonos na cadeia.

Ex: C15H31 - CH2 - OH => álcool cetílico

ALCOOLISMO: ou a dependência do álcool é uma doença crônica (de longa duração). É um estado de intoxicação causado pelo consumo excessivo de álcool e desenvolve-se em ritmos diferentes em cada pessoa, de acordo com suas características físicas, emocionais e psicológi-cas, grau de tolerância ao álcool e tipo de bebida ingerida. Fatores econômicos, culturais, sociais e ambientais podem influir na ingestão de bebidas alcoólicas e levar à dependência. Alguns especia-listas acreditam que o alcoolismo também pode ser transmitido geneticamente,ou seja, filhos de alcoólatras teriam mais chance de se tornar de-pendentes. O álcool etílico usado nas bebidas, o etanol, é uma droga psicotrópica que afeta o sis-tema nervoso central. Absorvido rapidamente pelo tubo gastrintestinal, age como calmante ou estimulante, ocasionando alterações de compor-tamento e dependência física e mental.  Apesar de causar dependência, o álcool é tolerado social-mente e o consumo por maiores de 18 anos não é proibido por lei.

ALDEÍDO: é um composto com um grupo fun-cional carbonila e de fórmula geral:  R-CHO, onde o R é um átomo de hidrogênio, um grupo alquila ou um grupo arila. Esta palavra é derivada do termo em inglês: Alcohol Dehydrogenated.

ALDOSE: são monossacarídeos que têm como base grupo aldeídico e alcoólico. Ex: glicose.

ALERGÊNIOS: certas substâncias irritam a pele e outras produzem uma reação à qual as pessoas são “alérgicas”, ambas desencadeiam dermatite em algumas pessoas. É importante ter condições de diferenciar os dois tipos. Como exemplo de alergênios citamos os perfumes, plantas, bor-racha, elástico, látex, cães e gatos, esparadrapos com óxido de zinco, cromo, agentes de curtimen-to usados em alguns produtos de couro.

ALFA: é a radiação que corresponde a núcleos de hélio ou íons de hélio com carga positiva 2+ e mas-sa igual a 4.

ALFACE: é calmante, combate a insônia, gripes, tosses, bronquites, catarros e asma. É rico em vita-minas, laxante, diurético, desintoxica e purifica o organismo. Cada 100gramas contém 16,0 quiloca-lorias, 2,30 gramas de glicídios, 1,20 gramas de proteína e 0,20gramas de lipídio.

ALFARROBA: ou carob em inglês, é o fruto da al-farrobeira, uma árvore selvagem, nativa da costa do Mediterrâneo. O nome “alfarroba” deriva do vo-cábulo árabe al kharoubah. A alfarroba é uma va-gem comestível, semelhante ao feijão, de cor marrom escuro e sabor adocicado, que mede em torno de 10 a 20 cm de comprimento e demora em torno de um ano para amadurecer. Dentro dessa vagem encontram-se de 10 a 16 sementes, ou quilates, que eram utilizados na antigüidade  pelos  mercadores para avaliar o peso das jóias, em razão do seu pouco peso e uniformidade, de onde vem as palavras “karat” e “kilat”. Atualmente essas sementes também são utilizadas na indústria de alimentos na produção de gomas e espessantes. O pó que é utilizado para substituir o cacau é deri-vado da polpa da vagem que é torrada e moída. Esse pó, contudo, possui expressiva diferença em relação ao cacau no conteúdo de açúcar e de gordura. Enquanto o cacau possui até 23% de gordura e 5% de açúcar, a alfarroba possui 0,7% de gordura e um alto teor de açúcares naturais (sucrose, glucose e frutose), em torno de 38 a 45%.

ALGICIDA: substância química utilizada para controlar ou destruir o crescimento de algas.

ALGINATO: é extraído de algas marrons da classe Phaeophyceae. O alginato forma gel em temperatura ambiente na presença de pequenas quantidades do íon cálcio e de outros metais bi ou trivalen-tes. Usado para aumentar a viscosidade de sucos de frutas, permitir a formação da dispersão dos insolúveis no suco. Também em sorvetes, contri-buindo para o corpo, textura e resistência à forma-ção de grandes cristais de gelo.  São usadas em recheios de tortas, coberturas para bolos, para a textura característica desses produtos. Em pudins e similares, são usados como espessantes, e em cervejas como estabilizante de espuma.

ALGODÃO: algodão purificado (consiste, quase que inteiramente, do polissacarídeo celulose). É constituido por pêlos das sementes de diversas espécies cultivadas do genero Gossypium  (Mal-vaceae), alvejados, bem cardados, privados dematérias gordurosas, resinosas e outras impure-zas e capazes de absorver água.

ALGODÃO DOCE: é um modo fantástico de se ver o que são cristais. Algodão-doce é apenas açúcar cristalizado. Como fazer: dissolva açúcar em água e cozinhe até que atinja 250ºC. Não mexa após o açúcar ter se dissolvido. Despeje o líquido quente em uma panela. Um pedaço de bambu deve estar a 2 cm da superfície da água com açú-car. Cubra a panela com uma folha de metal e não mexa por uma semana. Em 7 dias, levante o pe-daço de bambu e você verá que estará coberto de açúcar.

ALHO: aumenta o apetite, regula a digestão, comba-te a diarréia e problemas intestinais, contribui para prevenir problemas do coração, tais como trombose e enfartos. Também pode ser utilizado no tratamen-to de hipertensão e para evitar a gordura no sangue. É expectorante, evita catarros, fortalece a imunida-de, combatendo infecções. Cada 100 gramas con-tém 134 quilocalorias, 29,3 gramas de glicídios, 5,3 gramas de proteína e 0,2 gramas de lípidios.

ALICÍCLICAS: são cadeias carbônicas fechadas (ciclicas) e alifáticas, não aromáticas.

ALIFÁTICO: são hidrocarbonetos cíclicos (alicí-clicos) ou acíclicos que não contêm o anel ben-zeico ou aromático.

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: uma dieta equilibra-da é a chave para prevenir doenças. Não tem se-gredo. Uma boa dica é seguir a pirâmide alimen-tar, consumindo os alimentos com moderação. Entenda como funciona: na base estão os alimen-tos energéticos, que fornecem o combustível para o funcionamento normal do organismo. São mas-sas, pães, tubérculos, cereais, trigo e farinhas. Em seguida, vêm os alimentos reguladores, que fornecem vitaminas, minerais e fibras. Aqui entram os legumes, as frutas e as verduras. Acima apare-cem os alimentos construtores, ricos em proteínas, responsáveis pela formação de novos tecidos. São eles: leite e derivados, carnes, ovos e legumi-nosas. No topo da pirâmide estão os alimentos energéticos extras, que fornecem energia, realizam isolamento térmico e transportam algumas vitami-nas. Açucares, doces e gorduras fazem parte desse grupo, cujo consumo deve ser menor.

ALIMENTOS: são todas as substâncias ou produtos de qualquer natureza, sólidos ou líquidos, naturais ou transformados que, por suas características, aplicações, composição, preparação e estado de conservação são susceptíveis de serem utilizados na alimentação. São todos os produtos usados para manter e construir os tecidos corporais, regular processos vitais e fornecer energia ou qualquer substância não tóxica, capaz de satisfazer as necessidades nutritivas do organismo.

ALIMENTO ORGÂNICO: embora todo o alimento seja orgânico, são assim chamados os que obedecem a certos princípios técnicos, ambientais e sociais. No cultivo, por exemplo, são proibidos os agrotóxicos, os adubos químicos e as semen-tes modificadas geneticamente (transgênicas). Os animais são criados sem hormônios, anaboli-zantes, nem antibióticos. No entanto, o conceito de orgânico não se limita a eliminar o uso de ve-nenos e substâncias químicas. O produtor deve utilizar os recursos naturais sem alterar suas características físicas nem o equilíbrio do ecos-sistema.

ALIMENTO DIET, LIGHT OU ZERO: o termo diet refere-se a dois tipos de alimento: os voltados para dietas com restrição de nutrientes (como carboidratos, gorduras ou proteínas) e aqueles indicados para dietas com ingestão restrita de alimentos (para controle de peso ou de açúcares, como no caso dos diabéticos). Por sua vez, a definição de alimento light deve ser usada para produtos que apresentem redução mínima de 25% de algum nutriente ou de caloria quando comparado com o alimento convencional. Em relação ao conceito zero, trata-se mais de uma nova estratégia de marketing, voltada para atender a uma fatia de mercado jovem, preocupada com o bem-estar, mas que teimava em aceitar os produtos diet e light por associá-los a algum problema de saúde. Bebidas como refrige-rante, embora tenham três denominações (diet, light e zero) apresentam composições semelhantes: não contêm açúcar (ou baixa quantidade) nem calorias - ou têm pouca.

ALIMENTO; OXIDAÇÃO:os alimentos que consumimos contêm muitas substâncias orgânicas, nas quais é frequente a presença de grupos funcionais e/ou ligações duplas que facilmente incorporam oxigênio do ar.
A incorporação de oxigênio nas substâncias presentes nos alimentos não apenas pode modificar seu sabor, aroma e aspecto, como também pode produzir substâncias tóxicas ao organismo.
É provável que você já tenha percebido um sabor desagradável ao degustar algum produto contendo óleo( por exemplo, salgadinhos fritos vendidos em saquinhos). Esse sabor ruim se deve a incorporação de oxigênios (oxidação) nas ligações duplas presentes nas moléculas de óleo.

ALIMENTOS TRANGÊNICOS: são alimentos produzidos de organismos geneticamente modificados, ou seja, que têm alguma característica genética alterada em laboratório; normalmente, com a introdução de genes de outra espécie em seu genoma. No geral, o objetivo é tornar as plantações mais resistentes a pragas, ao ataque de insetos ou de ervas daninhas e as condições ambientais adversas, como períodos de seca, e aumenta a produtividade ds lavouras. A técnica ainda gera muita polêmica. Do ponto de vista da saúde, os critícos afirmam que também não se conhecem todas as consequências que os alimentos transgênicos podem trazer para o organismo humano. Teme-se, por exemplo, que, ao transferir genes de uma planta para outra, os cientistas carreguem, inadvertidamente, agentes que afetem a saúde do homem, a médio e a longo prazo.

ALMOFARIZ COM PISTILO: é um recipiente de ferro ou porcelana que serve para triturar sólidos, em pouca quantidade.

ALOE VERA: é muito conhecida no Brasil pelo nome de “babosa”, planta pertencente à família das liliáceas, tal como o lírio e o alho, é tão sucu-lenta que se assemelha a um cactos. A planta Aloe Vera é conhecida e usada durante séculos devido às suas propriedades medicinais ligadas à beleza, saúde e cuidados da pele e cabelos. Existem cerca de 300 espécies de Aloe já descritas, mas algumas são mais nutritivas e eficazes do que outras, sendo a “barbadensis”, a espécie consi-derada mais benéfica. Apesar dos muitos anos da utilização da resina obtida das folhas da Aloe Vera, seu consumo era reduzido, pois o gel rapidamente sofria o processo de oxidação perdendo parte de suas propriedades. Só muito recentemente foi possível estabilizar o gel e conservá-lo através de processos naturais a frio, preservando as qualida-des dos princípios ativos existentes. A estabili-zação significa processar a Aloe Vera livre de con-taminação por bactérias, fungos e vírus, com con-servantes naturais e antioxidantes.

ALÓTROPOS: é a propriedade pela qual um mesmo elemento químico pode formar duas ou mais substâncias simples diferentes, que são denominadas variedades alotrópicas do elemento.
Apresentam propriedades físicas e químicas diferentes.
Exemplos: gás oxigênio e gás ozônio, diamante e grafite.

ALPACA: é uma liga metálica de níquel, zinco e cobre, usada principalmente na fabricação de ta-lheres e objetos de adornos.

ALQUILBENZENO: são compostos orgâni-cos que têm um grupo alquila ligado a um anel benzênico. O exemplo mais simples é o metil benzeno (tolueno), (C6H5)-CH3. Os alquilbenzenos podem ser obtidos através da reação de FriedelCrafts.

ALQUILBENZENOSSULFONATO DE SÓDIO: são moléculas que fazem parte da composição de detergentes sintéticos e que em soluções aquo-sas de íons de cálcio e magnésio, chamadas águas duras, formam sulfonatos solúveis em água, facili-tando a limpeza.

ALQUIMIA: é a química rudimentar da Idade Média, explorada por sábios e charlatães.  A origem da Alquimia deve ser procurada na mais remota anti-guidade. Os séculos XV e XVII marcaram o seu apogeu, pois a Alquimia se tornou quase uma psi-cose da época. Abundavam as publicações sobre o assunto, pois nas principais cortes européias destilavam-se ervas, preparavam-se óleos, traba-lhavam-se metais, quer visando a obtenção de elixires milagrosos, quer na esperança de se encon-trar a cobiçada fórmula para fabricar ouro...  que nunca foi  descoberta.
Todavia, foram inapreciáveis os benefícios que a humanidade auferiu destas experiências malo-gradas. Inventaram-se vários aparelhos de labo-ratório e descobriram-se vários produtos químicos.

ALTITUDE: distância vertical de um ponto da superfície da Terra, em relação ao nível zero ou nível dos oceanos.

ALTO FORNO: é uma fornalha para fundir minérios de ferro, como a hematita (Fe2O3) ou a magnetita (Fe3O4), para produzir ferro gusa. A conversão dos óxidos de ferro em ferro metálico é um processo redutor no qual os agentes redutores são o monóxido de carbono e o hidrogênio. O ferro gusa produzido num alto forno contém cerca de 4% de carbono e normalmente é necessário continuar com refinação para produzir aço e ferro fundido.

ALUMES ( A2SO4B2 (SO4)3 . 24H2O ): é um grupo de sais duplos onde A é um metal monovalente e B um metal trivalente. O exemplo original contém potássio e alumínio (chamado alume de potássio e alumínio ou simplesmente alume) Os alumes são isomorfos e podem ser feitos através da dis-solução de quantidades equivalentes dos dois sais na água por recristalização.

ALUMINA: a palavra alumina apesar de ser um termo químico específico para definir o óxido de alumínio (Al2O3), na prática comercial existe uma grande variedade de tipos de alumina que recebem uma série de adjetivos, tais como calcinada, baixa soda, hidratada, gama, tabular, eletrofundida e outras.

ALUMÍNIO (Al): o alumínio e suas ligas constituem um dos materiais metálicos mais versáteis, econômicos e atrativos para uma vasta série de aplicações. Sua aplicação como metal estrutural só é menor que a dos aços. O alumínio possui uma densidade de 2,7 g/cm³, aproximadamente 1/3 da do aço, o que somado à sua elevada resistência mecânica o torna bastante útil na construção de estruturas móveis, como veículos e aeronaves.
O alumínio não é ferromagnético, possui elevadas condutividades térmica e elétrica, e é não tóxico. Outra vantagem do alumínio é a sua resistência à oxidação progressiva, já que os átomos da sua superfície se combinam com o oxigênio da atmosfera, formando uma camada de óxido protetor que impede a progressão da deterioração do material.  Além disso, o alumínio com determinados tratamentos e/ou elementos de liga se torna resistente à corrosão em meios mais agressivos. O alumínio também encontra aplicações em peças decorativas, graças à sua superfície brilhante e reflectiva.

ALUMÍNIO ANODIZADO: é um alumínio de alta qualidade, extremamente leve e tratado termicamente para aumentar a tensão e a resistência à corrosão.

ALVEJANTE: são corantes fluorescentes que absorvem um pouco de radiação ultravioleta e reemitem luz visível, fazendo assim as fibras parecerem mais claras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário