quinta-feira, 8 de maio de 2014

TERMOS - LETRAS Ia => In

IATROQUIMICA: escola de químicos surgida nos séculos XVI e XVII, quando haviam abandonado a alquimia, passando a se preocuparem com a obtenção de substâncias que curassem as enfermidades. Foi nesse período que surgiu a teoria do flogisto. 

ILUMINAMENTO: unidade lux (lx), iluminamento de uma superfície plana de 1 metro quadrado de área, sobre a qual incide perpendicularmente um fluxo luminoso de 1 lúmen, uniformemente distribuído

ÍMÃ: são materiais magnéticos, como o ferro, níquel e cobalto, algumas ligas metálicas e algumas cerâmicas. Pedra imã é um mineral composto de óxido de ferro.

IMPENETRABILIDADE: propriedade que possuem os corpos de não poderem, simultaneamente, ocupar o mesmo lugar no espaço.

IMPLOSÃO: um colapso interno de uma estrutura especialmente como resultado de uma evacuação.

IMPRESSÃO DIGITAL, IDENTIFICAÇÃO: as linhas minúsculas da impressão digital de cada ser humano são únicas. Como uma cópia dessas linhas é deixada em quase tudo o que tocamos, as impressões digitais na cena de um crime são evidências importantes, que podem ser usadas para identificar o criminoso. As impressões digitais podem ser visíveis, mas, na maioria das vezes, são invisíveis, ou latentes, consistindo principal-mente de suor. Há vários métodos que podem ser usados para tornar visíveis impressões digitais latentes. O mais comum consiste em aplicar um pó colorido que adere mecanicamente aos componentes úmidos e oleosos depositados pela pele na superfície tocada. Em geral, este pó consiste de uma mistura entre sílica, carvão e um sal inorgânico insolúvel, como carbonato de zinco, bário ou magnésio. Entretanto, a umidade ou óleo secretados juntos com o suor secam após dois ou três dias, inviabilizando a utilização de tal método para a revelação de impressões antigas. Um reagente bastante utilizado neste caso é a ninidrina, que reage com os aminoácidos componentes do suor, dando uma coloração azul violácea, devido à formação do com-posto chamado púrpura de Ruhemann. Outro reagente usado para revelar impressões digitais latentes antigas é o nitrato de prata, que reage com o cloreto de sódio do suor, formando cloreto de prata. Em contato com a luz do sol, o cloreto de prata se decompõe em prata finamente dividida, de cor preta, tornando a impressão digital visível.

IMPUREZAS ACEPTORAS: impurezas que podem receber elétrons nos semicondutores.

IMPUREZAS DOADORAS: impurezas que podem dar elétrons de condução aos semicondutores.

INALAÇÃO: é a principal via de intoxicação no ambiente de trabalho, daí a importância que deve ser dada aos sistemas de ventilação. A superfície dos alvéolos pulmonares representam, no homem adulto, uma área de 80 a 90 m2. Esta grande superfície facilita a absorção de gases e vapores, os quais podem passar ao sangue, para serem distribuídos a outras regiões do organismo. Sendo o consumo de ar de um homem adulto normal de 10 a 20 Kg/dia, dependendo do esforço físico realizado, é fácil chegar a conclusão que mais de 90% das intoxicações generalizadas tenham esta origem.

INALANTES: é um solvente com características de ser uma substância facilmente volátil e que pode ser inalada, isto é, pode ser introduzida no organismo através da aspiração pelo nariz ou boca.

INCANDESCÊNCIA: emissão de luz por uma substância quente. Todos os comprimentos de onda estão presentes, mas a radiação com maior intensidade se desloca do vermelho para o azul na medida que a temperatura é elevada.  

INCINERAÇÃO: é o processo de combustão controlada dos resíduos, em que estes são queimados e transformados em pequenas quantidades de resíduos inertes, não inertes e gases, com produção ou não de energia. A incineração é uma forma de total eliminação dos resíduos tóxicos ao meio ambiente, sem a emissão de gases tóxicos para a atmosfera. Um incinerador pode ser operado sem provocar agressões ao meio ambiente, para isso, deverão ser empregados precipitadores de partículas, filtros eletrostáticos, lavadores de gases, etc.

INDICADORES: os indicadores são compostos orgânicos largamente empregados para identificar o caráter ácido ou básico de uma solução. Tal identificação se baseia na coloração característica e diferenciada que estes compostos adquirem em presença de soluções ácidas ou básicas. Dentre os inúmeros indicadores utilizados mencionam-se o: metilorange, a fenolftaleína e o tornassol.

INDICADORES ÁCIDOS: possuem hidrogênio(s) ionizável (eis) na estrutura, quando o meio está ácido, a molécula de indicador é “forçada” a manter seus hidrogênios devido ao efeito do íon comum, nesta situação a molécula está neutra. Quando o meio está básico, os hidrogênios do indicador são fortemente atraídos pelos grupos OH- (hidroxila) para formarem água, e neste processo são liberados os ânions do indicador (que possuem coloração diferente da coloração da molécula).

INDICADORES BÁSICOS: possuem o grupo ionizável OH- (hidróxido), portanto, em meio alcalino as moléculas do indicador “são mantidas” não ionizadas, e em meio ácido os grupos hidroxila são retirados das moléculas do indicador para a formação de água, neste processo são liberados os cátions (de coloração diferente da coloração da molécula).

INDICADORES NATURAIS: são substâncias extraídas da natureza que mudam de cor conforme o pH seja ácido ou básico. Como exemplo temos o repolho roxo, frutas como a amora, morango e o jambolão e flores como quaresmeira, unha-de-vaca, azaléia e beijinho.
As substâncias responsáveis pela coloração dêstes tecidos vegetais, são as antocianinas, pigmentos da classe dos flavonóides, principais cromóforos encontrados nas flores vermelhas, azuis e púrpuras.

INDICADOR UNIVERSAL: chama-se indicador universal a uma mistura em volumes iguais de soluções dos seguintes indicadores: vermelho de metilo, a naftolftaleína, timolftaleína, fenolftaleína e azul de bromotimol.

INDÍCE: denominação dada aos números que indicam a quantidade de átomos de um certo elemento numa molécula ou a quantidade de íons provenientes de um elemento num mol.

ÍNDICE DE OCTANAS: ou octanagem, é uma propriedade da gasolina que indica a qual limite máximo a mistura vapor de combustível mais ar pode ser comprimida dentro da câmara de combustão, sem que haja detonação espontânea, ou seja, sem que a mistura entre em combustão antes da centelha da vela de ignição “bater pino”. Quanto maior o índice de octano, maior temperatura e pressão o combustível poderá suportar, isto é, maior será sua resistência à detonação. Motor com taxa de compressão mais alta requer gasolina de maior octanagem, para apresentar rendimento termodinâmico mais elevado e maior desempenho. No caso de o motor de alta taxa de compressão receber combustível de octanagem insuficiente (como acontecia até agora no Brasil), seu sistema de monitoramento eletrônico reduz automaticamente a taxa de compressão. Isso evita a batida de pino, mas há perda de potência.

ÍNDIGO: corante natural conhecido desde a Antiguidade; sua fórmula foi deduzida por Baeyer em 1883. Pode ser obtido sinteticamente. Na cor azul é responsável pelo sucesso do jeans.

ÍNDIO (In): um elemento prateado e macio que ocorre na blenda de zinco e em alguns minérios de ferro. O uso dado ao metal é na galvanização de objetos para fins especiais e algumas ligas fundíveis. São usados vários compostos semicondutores como InAs, InP e InSb.

INDUÇÃO MAGNÉTICA: unidade Tesla(T), indução magnética uniforme que produz uma força constante de 1 newton por metro de um condutor retilíneo situado no vácuo e percorrido por uma corrente invariável de 1 ampère, sendo perpendiculares entre si as direções de indução magnética, da força e da corrente.

INDÚSTRIA QUÍMICA: é o ramo de atividade que utiliza, preponderantemente, processamento industrial constituído por um conjunto de conversões químicas e/ou operações unitárias seqüenciais de causa e efeito, onde está envolvida a Tecnologia Química, com a finalidade de transformar matérias-primas em produtos industriais de interesse econômico, social e/ou militar.

INÉRCIA: resistência de um corpo a uma mudança em seu movimento. Assim, um corpo em movimento tenta continuar movendo-se em linha reta, enquanto um corpo estacionário tenta manter-se em repouso. Se você estiver em um carro que para bruscamente, a inércia de seu corpo fará com que continue o movimento. O cinto de segurança pode impedir que isso aconteça. A inércia depende da massa, um corpo de grande massa tem muita inércia.

INFLAMÁVEL: sólido, líquido ou gás comprimido que tem um ponto de fulgor menor do que 60oC (140oF). Pode ser regulamentado como dejeto perigoso.

INFLAMABILIDADE: todo o combustível tem uma temperatura de inflamação determinada – temperatura em que a vaporização se dá em proporção suficiente para o combustível inflamar-se e manter a queima continua. Essa temperatura é alcançada através do fornecimento de uma “energia inicial” que o aquece, elevando sua temperatura até a temperatura de inflamação. Desse modo a combustão se inicia de modo endotérmico e prossegue desenvolvendo calor.

INFRAVERMELHO: radiação eletromagnética cujo comprimento de onda é maior do que aquela da luz visível vermelha. É responsável pela transmissão do calor por radiação.

INFUSÃO: consiste colocar água fervendo sobre as partes das plantas das quais se deseja extrair os princípios ativos. Depois da junção da água, o recipiente deve ser abafado com uma tampa até esfriar.
Em seguida, filtra-se e o líquido fica pronto para ser misturado aos outros ingredientes. Obs: Utilize sempre recipientes de material grosso, que não transmita calor, pois assim o esfriamento será mais lento e demorado, permitindo um maior aproveitamento do processo de extração do princípio ativo das plantas.

INIBIDOR: são substâncias que causam redução da velocidade das reações químicas, sendo recuperada intacta no fim da reação. Biologicamente falando, os inibidores impedem ou retardam a ação de uma enzima.

INJEÇÃO ELETRÔNICA: é um sistema de gerenciamento composto de uma central eletrônica (Centralina ou E.C.U.), que recebe informações de sensores instalados no motor e controla, entre outros sistemas, a injeção de combustível e a ignição. Sua principal função é formar a mistura de ar e combustível necessária ao perfeito funcionamento do motor, mantendo os índices de emissão de poluentes dentro das exigências dos órgãos governamentais. Para que o motor funcione corretamente, sem falhas, e com o melhor rendimento possível, é necessário que se misture uma quantidade específica de combustível ao ar que entra no motor. Como esta quantidade é determinada em massa, a central eletrônica calcula a massa de ar que é admitida pelo motor e comanda a injeção de combustível.
Esta tecnologia leva em conta a rotação do motor e a densidade do ar aspirado. Através da rotação do motor, levando-se em conta a sua capacidade volumétrica, a central calcula o volume de ar admitido e, para o cálculo da densidade, utiliza os valores da temperatura e da pressão do ar, que são informados à central através dos respectivos sensores. De posse da massa de ar admitida pelo motor, a central comandará uma válvula, que chamamos de eletroinjetor, e esta permitirá a passagem da quantidade exata de combustível para realizar a combustão. Com esta mistura comprimida no cilindro, a central comandará o circuito de ignição, realizando a combustão necessária ao funcionamento do motor.
Os principais sistemas de injeção e ignição eletrônica não necessitam de ajustes ou regulagem, porém, por se tratar de siste-mas eletroeletrônicos precisam ser constantemente avaliados, pois fornecem informações sobre seus componentes, além de informar se ocorreram defeitos ou anomalias durante seu funcionamento. Para testes e ajustes são utilizados equipamentos específicos, denominados scanners. Além da avaliação eletroeletrônica, é recomendada como manutenção preventiva a substituição dos filtros de linha e do tanque a cada 15.000 km, ou conforme recomendações do fabricante do veículo. O teste dos injetores MPI a cada 15.000 km e a substituição dos injetores SPI a cada 50.000 km.

INJETORA: equipamento utilizado no processo de injeção de plásticos. Injeção é o processo de trans-formação de plásticos similar à fundição sob pressão de metais. O plástico, na forma de grânulos ou pó, é plastificado num equipamento similar a uma extrusora. Neste caso, porém, após a plastificação do polímero, o parafuso atua como um êmbolo, injetando-o de uma vez só num molde. É o processo de transformação mais popular, respondendo por 60% do parque de máquinas.

INSATURADO: composto orgânico que contém ligações múltiplas (duplas e triplas) entre átomos de carbono.

INSETICIDAS: são agentes, ou formulações, destinados a destruir os insetos; frequentemente são classificados de acordo com o método de ação.
Os inseticidas estomacais são letais apenas para os insetos que os ingerem; inseticidas de contato matam depois de contato externo com o corpo; os fumigantes atuam sobre o inseto por intermédio do sistema respiratório. Podem ser aplicados como névoa, se forem líquidos, ou em suspensão, como uma poeira, ou na forma de gás.   

INSOLÚVEL: não solúvel, ou tem baixíssima solu-bilidade, que consideramos desprezível.

INSULINA: a insulina é um polipeptídio contendo 51 grupos de aminoácidos que é produzido pelas ilhotas de Langerhans do pâncreas de numerosos animais.
A insulina humana pode ser obtida a partir desse órgão por extração, por modificação da insulina bovina ou porcina ou por processos biotecnológicos utilizando bactérias ou leveduras para produzir insulina humana recombinante. A insulina é um fator de absorção celular da glicose e outros elementos nutritivos circulando no sangue assim como de sua estocagem na forma de glicogênio e gordura. A insulina pura se apresenta na forma de um pó branco amorfo e não higroscópico ou na forma de cristais brilhantes solúveis em água. É utilizada clinicamente no tratamento do diabetes. Os sais de insulina incluem, por exemplo, o cloridrato de insulina.

INTEMPERISMO: o termo intemperismo é aplicado às alterações físicas e químicas a que estão sujeitas as rochas na superfície da Terra.

INTEMPERISMO FÍSICO: a ação das soluções aquosas sobre o feldspato e sobre a mica biotita, leva à produção de argilas e à formação do solo. A principal argila formada é o caulim, que é branco quando puro, o que o acontece muito raramente. A cor vermelha do solo se deve aos óxidos de Ferro e Manganês liberados pela alteração da biotita e outros minerais que possuem estes elementos químicos em sua fórmula.

INTEMPERISMO QUÍMICO: corresponde as seguintes atividades
a) variação da temperatura: com o aumento da temperatura os minerais sofrem dilatação, desenvolvendo pressões internas que desagregam os minerais e desenvolvem microfraturas, por onde penetrarão a água, sais e raízes vegetais.
b) cristalização de sais: O sal trazido pela maresia se cristaliza nas fraturas, desenvolvendo pressões que ampliam efeito desagregador.


INTERAÇÃO QUÍMICA: é a atração ou repulsão entre moléculas sem que ocorra quebra ou formação de novas ligações. Estas interações são freqüentemente chamadas de interações não covalentes ou interações intermoleculares, caracterizando um fenômeno físico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário